Entenda a relação entre ESG e Inteligência Artificial | Venturus

Entenda a relação entre ESG e Inteligência Artificial

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Profissionais de TI que estão sempre em busca de se informar sobre as tendências e inovações no mundo corporativo estão muito interessados em entender a relação entre ESG (Environmental, Social and Governance ou Ambiental, Social e Governança em tradução livre) e a Inteligência Artificial, já que a governança eficiente depende de tecnologias de ponta.

Esses conceitos estão transformando a maneira como empreendedores, gestores e investidores analisam as empresas e tomam decisões. Isso porque eles envolvem comprometimento, responsabilidade social e ambiental, bem como estratégias de inovação voltadas à produtividade e competitividade.

Neste artigo, vamos explicar o que é ESG e qual a relação entre esse conceito e a Inteligência Artificial. Também vamos mostrar a importância de investir em soluções e ferramentas para otimizar a utilização desses conceitos no ambiente corporativo e como as soluções da Venturus podem ajudar nesse sentido. Continue a leitura para saber mais!

O que é ESG?

A sigla ESG, que como mencionado significa Ambiental, Social e Governança, surgiu em 2005 no relatório da The Global Compact “Who Cares Wins”. Para a elaboração desse documento, a ONU reuniu 20 instituições financeiras para criar recomendações sobre como incluir essas questões de ESG nos serviços de gestão de ativos, corretagem e pesquisas relacionadas.

O relatório concluiu que a adoção de causas ESG no mercado financeiro incentiva as organizações a serem mais sustentáveis e contribui para um melhor desenvolvimento da sociedade. Dessa forma, o conceito é utilizado para demonstrar o quanto uma organização está comprometida em desenvolver suas operações de maneira mais sustentável.

Nesse sentido, cada letra da sigla envolve uma grande lista de preocupações globais que são os pilares desse conceito. O aspecto ambiental, por exemplo, trata do desenvolvimento sustentável, bem como da preservação do meio ambiente, incluindo temas como:

  • conservação da biodiversidade;
  • desmatamento;
  • eficiência energética;
  • emissão de carbono;
  • escassez de água (principalmente potável);
  • mudança climática;
  • poluição de ar e água;
  • resíduos sólidos.

Já o social se preocupa com a relação da empresa com as pessoas envolvidas, como colaboradores, clientes e comunidades, no sentido de:

  • diversidade étnico-racial da equipe;
  • engajamento com funcionários;
  • privacidade e proteção de dados sensíveis;
  • respeito aos direitos humanos e trabalhistas.

Por fim, os aspectos de governança englobam a administração da empresa no que se refere a:

  • combate à corrupção;
  • composição do conselho administrativo;
  • canal de denúncias;
  • ética e moral corporativa;
  • estratégias de gerenciamento de dados mestres;
  • relação com governos, políticos e entidades governamentais;
  • remuneração dos executivos.

A relevância do conceito ESG

Segundo pesquisa sobre sustentabilidade realizada em 2018 pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), 85,4% dos gestores de investimentos utilizam critérios do ESG na tomada de suas decisões.

Esse conceito ganha cada vez mais relevância porque os gestores, em âmbito global, visualizam a oportunidade de se adequar às práticas relacionadas e buscar uma sustentabilidade a longo prazo, com a possibilidade de transformar o mundo em um lugar melhor para as próximas gerações.

São atitudes e posturas que levarão a uma maior preservação da natureza, melhoria nas relações interpessoais e uma gestão mais saudável dos negócios, com a adoção desse conceito no presente. Ao mesmo tempo, as organizações que investem no ESG também ganham com o aumento da sua competitividade.

Qual a relação entre ESG e Inteligência Artificial?

Para realizar investimentos em ESG, os gestores de ativos estão adotando maneiras de utilizar a Inteligência Artificial (IA) e Big Data para otimizar as decisões de investimentos. Dessa forma, eles consideram que é possível limitar a subjetividade e o viés cognitivo que, por vezes, decorre da análise liderada por pessoas.

Essas inovações começaram a ser aplicadas em insights de sustentabilidade do ESG como fontes de “dados alternativos” que complementam as principais informações da área financeira, utilizando informações encontradas na Internet. Nesse sentido, a IA já está sendo usada para o bem social, indicando que a utilização conjunta dos conceitos de ESG e IA pode gerar diversos benefícios às organizações, conforme comentaremos a seguir.

Orientação realizada por meio de dados

A natureza empírica e fundamentada em métricas do ESG leva ao entendimento de que os dados e a IA precisam desempenhar um papel central na coleta, verificação e análise do desempenho da sustentabilidade. Contudo, independentemente dos objetivos de sustentabilidade de uma empresa, uma estratégia ESG baseada em dados pode aumentar o seu nível de transparência e confiança, caso siga alguns princípios de qualidade, como:

  • comparabilidade — os dados podem ser agrupados e comparados em uma base relativa;
  • frequência — os dados podem ser coletados em lote, quase que em tempo real ou dessa forma para relatórios oportunos;
  • materialidade — as ponderações são dirigidas a vários pontos de dados com base na relevância do negócio, bem como em fatores específicos do setor ou geografia;
  • objetividade — dados coletados de fontes diversas e rastreáveis ​​para diminuir preconceitos e lavagem verde.

Otimização da estruturação

Considerando a quantidade de texto que precisa ser analisada para a divulgação de sustentabilidade corporativa ou sobre os insights que precisam ser retirados das mídias sociais, observa-se que é impossível tratar os dados manualmente, necessitando da automatização dos processos.

A isso, podemos somar a complexidade da coleta de dados às necessidades de trazer fontes de dados externas relevantes (e materiais), bem como conjuntos de dados alternativos para a análise ESG. Dessa forma, centralizá-los em um data lake baseado em nuvem, com um processo ágil de governança de dados, é a solução mais prática para as organizações otimizarem o acesso aos dados e a qualidade das informações relacionadas a ESG.

Análise de métricas importantes

Uma vez que as diversas fontes de dados (estruturados, não estruturados e alternativos) são gerenciados e selecionados no data warehouse baseado em nuvem, as empresas podem realizar análises para obter uma visão holística e uma compreensão do seu desempenho em ESG.

Por que investir em soluções e ferramentas para otimizar esses conceitos?

Ao adotar processos e mecanismos que protegem a informação em todo o ciclo de vida de cada um dos stakeholders, as empresas garantem uma boa governança de dados. Contudo, é primordial que as informações sejam precisas e que os dados protegidos sejam confiáveis.

Para isso, é fundamental as empresas investirem em soluções e ferramentas, visto que elas permitem melhor aplicação dos conceitos de ESG e IA no desenvolvimento dos negócios. A seguir, veja como essas tecnologias são importantes nesse sentido!

Prevenção a fraudes, riscos fiscais e falhas humanas

As práticas do conceito ESG relacionadas à governança otimizam recursos em diversas frentes, incluindo a utilização de tecnologias para prevenção de riscos. Isso porque, se os processos administrativos, fiscais e contábeis estiverem bem mapeados, a empresa consegue obter facilidade para entregar suas obrigações acessórias. Além disso, previne riscos de irregularidades em notas fiscais, retrabalho e falhas humanas em operações de análise cadastral e fiscal, entre outros.

Atração de novos investidores

A principal motivação para a elaboração dos pilares ESG foi a incorporação de novos princípios para as análises de investimentos financeiros. Nesse sentido, ao garantir que os princípios ambientais, sociais e de governança sejam aplicados na empresa (tornando isso público ao mercado), a tendência é que a organização se mostre interessante para os investidores e alcance bons resultados.

Aumento de produtividade e lucratividade

Os pilares do ESG também estão diretamente ligados à redução de custos e, consequentemente, ao aumento da lucratividade. Assim, investir em soluções que aumentam a produtividade das equipes traz benefícios às empresas nesses aspectos. Além disso, há um ganho na confiança dos consumidores que passam a enxergá-las como organizações que se preocupam com o bem-estar da sociedade e a preservação do meio ambiente.

Mas para obter todas essas vantagens e garantir uma boa governança de dados é imprescindível escolher uma boa fornecedora de ferramentas tecnológicas, como a Venturus, que oferece tecnologia de ponta no desenvolvimento de aplicativos e soluções para diversos setores, como indústrias, segmentos da saúde e logística.

Conforme vimos ao longo deste artigo, há uma relação estreita entre os conceitos de ESG e IA, já que as empresas preocupadas com os impactos socioambientais de suas ações necessitam investir em soluções tecnológicas. Isso porque elas são fundamentais para garantir a coleta, o tratamento, a análise e o armazenamento de dados com segurança.

Essas informações foram úteis? Para saber mais como a Venturus pode ajudar a sua empresa a aplicar os conceitos de ESG e IA, entre em contato conosco!

Veja mais

Entre em contato

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.