Darkmode e os benefícios para a experiência do usuário

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

As telas dos dispositivos eletrônicos se tornaram parte do nosso dia a dia — presentes desde o momento em que desativamos nosso alarme do celular pela manhã até a hora de mandar aquela mensagem de boa noite para uma pessoa querida no WhatsApp.

Passamos muito tempo vidrados na tela dos nossos dispositivos, sejam eles Web ou Mobile. Mas você já parou para pensar que a maioria deles possui uma característica em comum: um background claro com texto escuros como padrão?

Pois é, isso está mudando com a vinda do Dark Mode (Modo Escuro) e seus benefícios, que visam deixar a visão do usuário mais confortável diante das múltiplas horas de uso da tela e trazer economia da energia utilizada pelo dispositivo. Neste artigo, listaremos os principais benefícios de se utilizar o Dark Mode no seu produto.

Afinal, como surgiu o Dark Mode?

Pode parecer que ele seja algo moderno e recente, mas o que chamamos hoje de Dark Mode já dava suas caras desde as décadas de 1970 e 1980. O primeiro display programável, o Manchester Baby, era alimentado por raios catódicos, uma tecnologia chamada CRT (Tubos de Raios Catódicos). Esses raios, basicamente, emitiam uma quantidade de elétrons que iluminavam elementos de fósforos atrás de uma tela de vidro.

No entanto, a tecnologia CRT não era tão potente a ponto de iluminar toda a tela, assim, somente alguns caracteres ficavam acesos. Por isso, as primeiras telas dos computadores dos anos 70 e 80 tinham esse esquema de cores: a tela preta com caracteres verdes ou brancos iluminados — ao contrário do que vemos hoje na maioria das máquinas do mercado.

(Manchester Baby)

A tecnologia CRT foi muito utilizada em diversos computadores das décadas de 1970, 1980 e 1990, como o primeiro iMac, lançado em 1998. Porém, houve um divisor de águas quando os LCDs (Liquid Crystal Display) coloridos começaram a aparecer em cena.

Inicialmente, os LCDs não possuíam gráficos tão nítidos quanto os dos CRTs e nem tinham ganhado tanta confiança das empresas. Por esses motivos, eles não dominaram o mercado de imediato. Só foi em meados dos anos 2000, quando a qualidade de imagem dos LCDs finalmente superou a do CRTs, que eles conquistaram espaço das fabricantes de computadores.

Portanto, a virada de chave do padrão de tela preta e caracteres verdes ou branco aconteceu por conta do avanço tecnológico da época, através da chegada dos LCDs coloridos, trazendo vida e cor às telas. Mas, e o Dark Mode, como fica?

As telas escuras da década passada voltaram a aparecer no mercado com maior força após a chegada da tecnologia OLED (Organic Light-Emitting Diode), que, diferentemente da LCD, não utiliza nenhuma luz de fundo, pois os diodos emitem sua própria luz.

Ou seja, o OLED tem emissão de luz própria. Quando há necessidade de produzir a cor preta, o OLED simplesmente desliga, economizando a vida útil das baterias dos dispositivos. Por este motivo, o Dark Mode vem ganhando espaço e estudo.

A partir da introdução do OLED no mercado, as empresas de tecnologia começaram a olhar mais para este modo “darkness” — o Instagram, Facebook e Google, por exemplo, começaram a oferecer a opção de Dark Mode nas suas aplicações,

Com tamanha adesão das gigantes de tecnologia, podemos perceber que o modo escuro esta ganhando cada vez mais espaco e gosto dos usuários, nos levando a realmente pensar no que leva as pessoas a optarem por este estilo de inteface, nos seus beneficios e como podemos trabalhar com isso dentro de um produto.

(Instagram em Dark Mode)

(Wokplace em Dark Mode)

Mas, quais são os benefícios que o Dark Mode traz ao usuário?

  1. Diminui o cansaço visual e ajuda no sono.

Passamos grande parte do dia olhando para a tela do computador ou do celular e não nos damos conta de como isso pode afetar nossa visão e qualidade de vida. Segundo uma pesquisa realizada em fevereiro de 2021 pela Statista Research Department,  usuários passam cerca de 5 a 6 horas em seus dispositivos realizando atividades diárias.

Essas  horas que passamos vidrados na frente da tela podem trazer malefícios ao nosso sono, visão e dores de cabeça. Isso ocorre porque, no Modo Light, as telas emitem uma quantidade muito grande de brilho, o que causa uma tensão ocular. Com o modo Dark, a quantidade de brilho emanada da tela diminui, já que boa parte dela está “apagada”.

Além do cansaço visual, o Dark Mode ajuda você a ter uma noite de sono muito melhor. Segundo uma pesquisa realizada pela Harvard, a luz azul, emitida das telas brancas, interrompe a secreção de melatonina, hormônio muito necessário para o sono.

A universidade também recomenda que smartphones e dispositivos não sejam utilizados três horas antes de dormir. No entanto, se o aparelho estiver no modo escuro, o sono não será tão prejudicado quanto se estivesse sendo usado no modo claro — pois emitirá menos luz azul.

 

  1. Aumenta vida útil da bateria dos dispositivos

Uma das felicidades do mundo moderno é chegar no fim do dia com aquela porcentagem de bateria sobrando. Pois é, com o Dark Mode isso pode ocorrer com maior frequência, já que a maior parte da tela não está sendo iluminada e, por consequência, não está consumindo tanta bateria do aparelho.

Segundo pesquisas feitas pela Google, foi confirmado que usar o Dark Mode em telas OLEDs é uma grande ajuda para uma maior vida útil da bateria dos smartphones.

Eles realizaram um experimento utilizando o aplicativo do Youtube com 50% do brilho no modo escuro e a economia de bateria em relação ao modo claro foi de 15%. Em comparação à tela com 100% do brilho ativo, a interface Darkness economizou 60% da energia da tela.

 

 

No gráfico abaixo, podemos ver que a cor branca consome muito mais energia do que as demais cores, levando a Google a reconhecer que a proeminência do branco em seus aplicativos e no guia de estilo do Android não é nada legal para a bateria dos aparelhos. Esses resultados fortaleceram o destaque para uma opção Dark dos aplicativos da empresa, .

 

 

  1. Melhor contraste diante de cores claras facilitando a acessibilidade

A tela em preto apresenta diversas possibilidades para que as cores se destaquem, diferentes das possibilidades de telas com fundo branco, pois algumas cores ficam ainda mais impressionantes quando colocadas em contraste com um fundo mais escuro.

Um exemplo disso são as cores claras, que, sobre um fundo claro, exigem um esforço maior para serem lidas pelo usuário, o que não acontecesse com um background escuro. Vejamos abaixo uma comparação das cores mais claras em contraste com fundo claro e escuro:

Esse jogo de contrastes beneficia os usuários. Segundo Liz Ferral-Nunge, diretora de pesquisa com usuários do Twitter, há vários benefícios de se usar o Dark Mode, especialmente no caso de acessibilidade.

Durante uma auditoria de acessibilidade dos recursos existentes no aplicativo, a empresa descobriu que a Paleta Night Mode pode melhorar a relação de contraste de cores para pessoas com baixa visão.

 

  1. Ajuda a manter o foco, aumenta a atenção no que realmente é importante e mantém o usuário mais tempo na sua aplicação

O modo escuro também está sendo correlacionado ao aumento da nossa capacidade de foco durante as tarefas realizadas no smartphone/desktop. A Apple, ao lançar o MacOS Mojave com o modo escuro, afirmou que  os usuários teriam um “ambiente de trabalho sem distrações e agradável para os olhos — em todos os sentidos”.

Segundo Nilli Lavie, professora de psicologia especializada em mecanismos neurais da atenção, distração e consciência visual da UCL, a oscilação que é gerada a partir da taxa de atualização da tela do computador pode afetar a concentração. Além disso, um fundo preto elimina a presença da cintilação (pulsos de luz) e, assim, elimina essa fonte de estática subconsciente.

Um aplicativo popular, Twitter, divulgou que seus usuários passam mais tempo navegando pelo app quando estão com o modo escuro ativado. Isso se deve tanto a preferências visuais quanto ao fato de que muitos usuários utilizam o aplicativo durante noite — quando é mais confortável para os olhos navegar com a interface Dark do que a Light, como já vimos anteriormente.

(Interface do Twitter com Dark Mode ativado)

 

Outro exemplo muito comum são as IDEs (Ambientes de Desenvolvimento Integrado), softwares que os desenvolvedores utilizam para codificar. De acordo com uma pesquisa realizada por Tigran Bayburtsyan, 70% dos programadores utilizam o tema escuro na IDE. Isso se deve a fatores históricos, preferências visuais, aumento do foco diante das muitas linhas de código e ao conforto para os olhos diante das muitas horas vidrados na tela do computador.

 

Outra pesquisa muito interessante que faz sentido com os dados que trouxemos aqui neste artigo é uma entrevista com usuários realizada pela SalesForce. A empresa estava desenvolvendo um dashboard e queria validar qual modo era melhor para os usuários, o claro ou o escuro.

Ao final da pesquisa, eles descobriram que os usuários tomam decisões mais rápidas e precisas com gráficos no tema escuro, embora não seja o tema mais agradável visualmente. Isso se deve ao modo escuro deixar o foco somente nos dados que estão sendo apresentados e eliminar todo o restante que não é relevante, como se fosse uma espécie de trégua visual.

(Experimento da Sales Force)

  1. Os usuários querem optar pelo modo Dark Mode nas aplicações

Entender a aderência dos usuários a uma interface ao Dark Mode é muito necessário para saber o quanto esse esquema de cores está sendo utilizado. Segundo uma pesquisa realizada pela Android Authority com 2.500 pessoas usuárias de Android, 81,9% delas usam o modo escuro em seus telefones, em aplicativos e em qualquer outro lugar disponível. 9,9% disseram que alternam entre o modo escuro e claro.

Dessa forma, um total de 91,8% dos entrevistados usa alguma forma de modo escuro em seus dispositivos. Somente 8,2% disseram que não utilizam o Dark Mode.

 

Podemos perceber que os usuários estão utilizando muito o recurso do Dark Mode nas aplicações. Por este motivo, gigantes da tecnologia já permitem que usuários escolham qual visual preferem de forma rápida e simples. Um exemplo é a Apple, que, no lançamento do iOS 13, disponibilizou a opção para que o usuário escolha qual visual deseja utilizar em seu dispositivo.

Após o lançamento do iOS 13, a Apple, em seu Human Interface Guideline, disponibilizou diversas orientações e dicas para desenvolvedores/designers terem seu produto acessível em ambos os modos (claro e escuro).

“Teste seus designs em aparências claras e escuras. Veja como sua interface fica em ambas as aparências e ajuste seus designs conforme necessário para acomodar cada um.” – Apple

Conclusão

Podemos perceber, pela quantidade de pesquisas, estudos, dados e pela aderência das gigantes de tecnologia em cima do Dark Mode, que as aplicações já precisam se adaptar e trazer não somente um visual de interface, mas dois: o Dark Mode e o Light Mode.

Os benefícios que listamos neste artigo mostram o potencial que este modo darkness tem, com destaque na economia de bateria, melhora da acessibilidade para cores com pouco contraste com um fundo mais claro, melhora do foco e da atenção, diminuição do cansaço visual e até melhora do sono. Com todos esses pontos, se aplicado da maneira correta, o seu produto só tem a ganhar com o Dark Mode.

Veja mais