Psicologia das Cores

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Introdução

As cores estão presentes na nossa vida a todo momento, elas influenciam nossos sentimentos, sensações, vibrações, emoções e comportamentos. Com todo esse poder, cada cor emite um tipo de significado específico, que é relevante para a construção de um produto, layout ou alguma arte, carregando com si, a mensagem que desejamos transmitir.

Por conta disso, neste artigo, abordamos um estudo da psicologia que foi criado justamente para estudar como o cérebro humano identifica as cores e as transformam em sensações ou emoções, chamado de Psicologia das Cores.

História

O estudo das cores começou a muito tempo atrás — já adianto que tudo começou quando Isaac Newton observou que um feixe de luz branca, ao atravessar um prisma, originava outras cores. A partir daí, as cores começaram a ganhar maior destaque como área de estudo e ciência.

Porém, só foi em 1810 que essa área começou a ganhar mais força, quando um poeta, sim, um poeta, Johann Wolfgang von Goethe, publicou o livro “Teoria das Cores”, no qual confrontou as ideias de Newton sobre luz e cor. Goethe defendia que as sensações que as cores despertam em nós surgem na nossa mente e que são lapidadas pela nossa percepção, ou seja, pela visão e como o nosso cérebro as processam. Ou seja, são mais do que apenas um fenômeno físico.

Depois de muito tempo, cerca de 200 anos depois do estudo de Johann Wolfgang von Goethe, Eva Heller, psicóloga, socióloga e professora, publicou um livro chamado “A psicologia das cores: como as cores afetam a emoção e a razão”. A obra foi fruto de anos de pesquisa e de um estudo com 2 mil pessoas de ambos os sexos, com idades entre 14 e 97 anos, englobando diversos outros fatores, como diferenças sociais, culturais e financeiras. Os resultados da pesquisa mostraram que as relações das cores com os sentimentos não dão “match” por acaso e que isso é resultado de experiências fixadas na nossa linguagem e na nossa mente.

Dessa forma, as cores transmitem sentimentos às pessoas que podem afetar suas decisões, moods, opiniões e outros fatores importantes e isso faz toda a diferença na hora de criar a interface.

Mas, afinal, o que é Psicologia das Cores?

A Psicologia das Cores é o estudo que mostra como o nosso cérebro identifica e transforma as cores em sensações. Ele também mostra os efeitos das cores no comportamento humano, sendo capaz de afetar nossas emoções, sentimentos, desejos e até mesmo decisões. Por isso, é muito importante saber utilizar as cores, pois cada cor gera uma sensação diferente nas pessoas.

Por que usar a Psicologia das Cores?

O efeito da Psicologia das cores nos projetos de criação de interfaces é de muita relevância, pois o visual da sua aplicação é o primeiro contato que o usuário tem com a sua plataforma ou produto e é a partir daí que ele se identifica ou não com a sua marca. A escolha correta das cores garante a mensagem que a sua brand quer passar seja expressada, despertando os tipos de comportamentos e sentimentos desejados.

Pois bem, vamos a dados concretos de que demonstram que utilizar a psicologia das cores pode trazer reais benefícios ao seu produto. Segundo estudos de marketing, negócios e análise de mercado, temos os seguintes dados:

  • 92,6% dos entrevistados disseram que colocam mais importância em fatores visuais quando adquirem um produto (Fonte: Secretariat of the Seoul International Color Expo 2004);
  • 84,7% dos consumidores acham que a cor é fundamental para a escolha de um produto (Fonte: Secretariat of the Seoul International Color Expo 2004);
  • Pessoas tendem a fazer um julgamento subconsciente sobre um produto dentro de 90 segundos da visualização inicial e que entre 62% e 90% dessa avaliação é baseada apenas na cor (Fonte: CCICOLOR – Institute for Color Research);
  • A cor aumenta o reconhecimento da marca em até 80% (Fonte: University of Loyola, Maryland study).

Além desses dados, temos cases muito interessantes, vamos conhecer dois deles que ganharam muito destaque:

Em um experimento de Marketing, a empresa alimentícia Heinz mudou a cor da embalagem do seu produto principal, o Ketchup, de vermelho para verde, em uma edição limitada do produto. E adivinha o resultado? Ela vendeu mais de 10 milhões de potes nos primeiros sete meses, resultando em uma receita de 23 milhões de dólares, apenas mudando a cor da embalagem. Além desse marco, foi o maior registro de vendas na história da marca.

Outro grande caso é a da Apple, que, em 1998, apresentou iMacs com diversidade de cores diferente do padrão que havia no mercado. Em apenas três meses de vendas, a receita de venda passou de 44 milhões de dólares a 152 milhões de dólares, dando a volta por cima, após dois anos de perdas financeiras. O sucesso foi tanto que a Apple trouxe essa variedade de cores para os seus produtos atuais, como iPhones, iPads e iPods. O mais recente é o iPhone 11, que possui seis cores diferentes.

 

Imagem: Apple

Por isso, antes do seu projeto realmente começar a ganhar vida, esse planejamento, estudo e pesquisa precisam ser feitos, para que seu objetivo seja alcançado e transmitido através da interface visual do seu produto — aumentando sua lucratividade, alcança e apreço pela sua aplicação.

Cores e seus sentimentos, vamos conhecer?

Cada cor possui sua particularidade e desperta certos sentimentos no usuário. Mas você sabe quais significados e usos cada cor carrega? Vamos entender agora.

Amarelo

A cor amarela, desperta confiança, otimismo, clareza e criatividade, além de nos ajudar na tomada de decisões. Na perspectiva da Psicologia das Cores, o amarelo estimula nossa aptidão mental, ativando o lado analítico e lógico do cérebro, facilitando nas tomadas de decisões de forma lógica e não emocional. Além disso, ela é uma cor que facilita o armazenamento mental das informações, além de ser a cor mais visível de todas. Por isso, ela é muito utilizada em post-its ou nos pincéis marca-textos originais, para chamar a atenção a informações importantes.

Nos negócios, utilizamos o amarelo para aguçar a criatividade das pessoas, ajudando-as a encontrar novos jeitos de fazer as coisas. Também utilizamos essa cor para conseguir decisões rápidas dos usuários, ajudando-os a pensar e tomar uma atitude mais rapidamente.

Vermelho

O vermelho é uma cor estimulante, energética, chamativa e intensa, muitas vezes relacionada ao fogo, paixão e excitação. Seu poder é tão grande que ela tem a capacidade de estimular o corpo humano, fazendo com que haja um aumento na pressão sanguínea e do número de batimentos cardíacos. Com todas essas sensações e sentimentos, o cuidado com seu usouso deve ser redobrado para que a mensagem que você queira passar aos usuários seja totalmente assertiva.

Por ser uma cor estimulante, as indústrias alimentícias usam dessa cor para estimular o apetite dos consumidores, afim de aumentar suas vendas. Temos um grande exemplo, o McDonald’s, que utilizam a Psicologia das Cores, usando vermelho nas suas interfaces e embalagens.

O uso da cor vermelha também é usado de forma extremamente importante nas interfaces digitais. Nelas, o vermelho é utilizado quando queremos sinalizar algum tipo de erro ou alerta. Assim, a interpretação da mensagem, com base juntamente na sua cor, traz ao usuário a concepção de que algo está errado.

Laranja

A cor laranja carrega consigo sentimentos de felicidade, espontaneidade, entusiasmo, energia, vitalidade, aventura e juventude. Na parte da Psicologia das cores, o laranja é uma cor muito otimista e edificante, que encoraja as pessoas a agirem e a enfrentarem desafios na vida de forma confiante.

Nos negócios, usamos o laranja para sugerir aventura, diversão e sinalizar otimismo. Além disso, ele é uma cor bastante utilizada para estimular as vendas em restaurantes e outros ambientes de consumo alimentar, pois estimula o apetite e a conversa dos consumidores no local, trazendo benefícios financeiros ao proprietário.

Vale ressaltar que o laranja é uma cor muito atraente e apreciada pelo público juvenil, pois é associada aos sentimentos de entusiasmo, energia e diversão. Como exemplo, temos a Nickelodeon, um canal de televisão que possui como público alvo os jovens e cuja identidade é focada na cor laranja.

Verde

O verde é uma cor que está conectada à natureza, ao meio ambiente, vida saudável, relaxante, tranquilidade, novos começos, renovação, paz e equilíbrio.

Em interfaces, o verde também pode significar sucesso e permissão, como, por exemplo, uma mensagem sobre uma ação que você realizou e que gerou algo positivo para você, como uma transação bancária que foi realizada com sucesso.

 

Uma marca que utiliza muito as sensações despertadas por essa cor é o Starbucks, uma empresa de cafeterias que, com sua identidade verde, transmite calma e sofisticação. O uso de cor vai além da identidade digital, já que o ambiente físico das cafeterias tende a utilizar a cor verde para trazer a sensação de paz e tranquilidade enquanto você aprecia seu café.

Starbucks

Além de tudo isso, um fato muito interessante é que a cor verde pode ser utilizada na área da saúde, principalmente em hospitais, pois ela deixa os pacientes mais tranquilos e relaxados e até reduzir a ansiedade. Incrível, não?

Azul

A cor azul transmite calma, serenidade e confiança, responsabilidade, honestidade e lealdade. Pelo lado da Psicologia das Cores, o azul representa confiança e responsabilidade. Além disso, ela é uma cor que traz paz e tranquilidade em primeiro lugar, proporcionando relaxamento físico e mental às pessoas.

O azul vai muito bem no mundo corporativo e tende a ser mais utilizado por tipos de negócios mais conservadores, como seguradoras, bancos e empresas financeiras, que prezam pela confiança com seus clientes.

Porto Seguro

Itau Empresas

Roxo

A cor roxa carrega consigo um significado muito especial e é uma cor que tem destaque desde a antiguidade. Segundo os estudos da Eva Heller, nos séculos passados, a cor roxa era usada como a cor do poder, da governança, sendo até mais poderosa do que usar ouro. Por isso, ela ficou conhecida como a cor da Realeza. Além de ter esse significado, ela ainda desperta a imaginação e a criatividade nas pessoas.

Um dos grandes exemplos que temos hoje em dia, que está crescendo cada vez mais, é o Nubank, um banco digital que possui o roxo como sua cor principal. Segundo o próprio Nubank, o roxo é uma cor única, forte e com bastante personalidade, transmitindo bem o que o aplicativo tem como proposta aos consumidores.

 

Imagem: Site Nubank

Marrom

A cor marrom não é muito apreciada pelos consumidores, segundo as pesquisas da Eva Weller. Porém, se ela for aplicada da maneira correta, podemos ter uma interface muito segura e que transmite confiança aos usuários, pois a principal sensação que ela passa é a de segurança.

O marrom é bastante utilizado como referência de certos produtos que temos, por exemplo, o chocolate, que possui um tom marrom e que é associado a essa cor facilmente. Por esse motivo, temos no ramo de chocolates muitas interfaces de cor marrom, como a Cacau Show, uma loja de chocolates e doces que utiliza essa cor na sua interface para fazer uma associação ao seu principal produto, o chocolate.

Além dessa associação, a cor marrom é bastante utilizada em produtos de áreas agrícolas, rurais e fazendas, tendo como principal elemento de associação à terra.

Imagem: Site Cacau Show

Preto

A cor preta é bastante utilizada em interfaces de marcas luxuosas, transmitindo poder, elegância, confiança e formalidade. Além disso, a cor preta esta super em alta quando falamos de Dark Mode (Modo Escuro), um modo de visualização da tela que deixa a visão do usuário menos cansada e até economiza a bateria do seu celular, por usar menos luz.

Além desses benefícios, o Dark Mode deixa a interface mais refinada e confortável aos olhos dos usuários. Vale ressaltar que, dependendo das cores combinadas com o preto, sua interface pode transmitir um visual conservador, moderno, elegante e sofisticado.

 

Imagem: Site Apple

Imagem: Site Rolex

Branca

A cor branca é bastante usada em interfaces visuais, principalmente quando queremos destacar alguma cor, imagem, produto ou outro elemento gráfico, pois, como ela é uma cor neutra, seu poder de destaque é grande, já que direciona o olhar ao que você deseja evidenciar.

Além disso, o branco transmite sensação de paz, simplicidade, segurança, leveza, bondade e divindade. Seu uso também está ligado aos profissionais da saúde, como médicos, enfermeiros, dentistas e outras profissões que usam um traje todo branco, para evidenciar justamente a neutralidade, trazer calma, harmonia, limpeza e higiene.

Imagem: Site Apple

Conclusão

A escolha correta das cores para o seu produto precisa ser pensada não somente pela estética, mas pelo que está por trás daquela cor, para que a mensagem que você quer transmitir através do seu produto seja recebida corretamente pelos usuários.

O resultado da aplicação da Psicologia das Cores pode ser muito bem visto no case da Heinz, que, com apenas alteração da cor da embalagem do Ketchup, viu um aumento absurdo em suas vendas, sendo a maior venda da história da marca.

Além desse case, vimos outros dados interessantes, como a informação de que 85% dos consumidores levam em consideração a cor do produto no momento da compra e que, para 80% dos consumidores, a cor da marca aumenta seu reconhecimento.

Vale ressaltar que, se as cores forem escolhidas indevidamente — não visando a mensagem que a empresa deseja transmitir —, temos prejuízos grandes ao produto, já que a mensagem que ele quer passar não será sendo absorvida da maneira esperada pelo usuário.

Por isso, vemos que a escolha da paleta de cores para o seu produto deve ser feita de maneira muito bem pensada. A Psicologia das Cores é uma ferramenta poderosa nessa decisão, ajudando um negócio a desenvolver a identidade e mensagem desejadas e, assim, alcançar seu público e objetivos.

Veja mais
Indústria 4.0
Pedro Almeida

Desmistificando a Indústria 4.0

O termo Indústria 4.0, apesar de já ter se popularizado, ainda traz muita dúvida. A maioria das pessoas vincula o conceito a fábricas e indústrias
Leia mais »
Bitnami